Há Quem Confunda MOTIVO com DESCULPA

“Quando se quer fazer uma coisa, arranja-se um meio, quando não se quer arranja-se uma desculpa.”

A verdade é que às vezes as desculpas disfarçam-se de motivos e por isso se podem confundir.

Um exemplo:

  • Preciso tomar a decisão de ir a um evento, ou a uma formação para mudar alguma coisa na minha vida.

Um motivo para ir: mudar alguma coisa na minha vida para deixar de ser, ter e fazer aquilo que sou, tenho e faço agora.

Desculpas para não ir: “não tenho tempo”, “não tenho dinheiro”, “não tenho quem fique com os meus filhos”, “tenho de cuidar de…”

Se para ti é importante o RESULTADO que te trairá o evento, tudo o que te possa impedir de ir é uma desculpa, e, sendo uma desculpa, pode ser superada, simplesmente querendo.

Exemplos de superação das desculpas:

  • “Não tenho tempo”: organiza-te melhor e coloca as tuas prioridades no sítio.
  • “Não tenho dinheiro”: gere o dinheiro que tens por prioridades. Vais ver que, com um pouco te tempo, controlo e disciplina, vais achar uma solução.
  • “Não tenho quem fique com os meus filhos”, ou “tenho de cuidar de…”. Pede ajuda, contrata alguém, leva-os contigo, se for possível… de novo: organiza-te.

Onde há querer, há um meio. Onde não há, só há desculpas.

Se esta mensagem fez sentido para ti, Partilha esta mensagem clicando no botão de partilha. Obrigado:

Obrigado pelo teu comentário. Respondo sempre a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *